História em Fotos

Câmara Municipal de Itajubá

Antigo prédio do Fórum abriga, atualmente, a Câmara Municipal de Itajubá. Construída em estilo eclético foi projetada pelo arquiteto italiano Moises Luigi e erguida entre os anos de 1910 – 1911. Em 1952 foi destruída por um incêndio e reerguida com verbas concedidas pelo Deputado Estadual Euclides Pereira Cintra e pelo Governador Juscelino Kubitschek. Foi finalizada em 28 de janeiro de 1961. A obra possui dois pavimentos, sendo que no térreo existem três portas de madeira almofadadas, de duas folhas, encimadas com bandeiras de vidro. Em todo o seu interior são visíveis os ricos detalhes ornamentais. Localizada na Praça Amélia Braga, nº 45, foi tombada pelo Decreto Municipal nº 3095 de 20 de março de 1998.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Soledade

Retrata algumas fases da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Soledade. Até a última construção inaugurada em 1934, tivemos outras 4 Igrejas, sendo a primeira construída no ano de 1819, a segunda em 1832, a terceira em 1873, a quarta em 1912. Em 1957 o interior da Igreja Matriz foi pintado pelo artista holandês Henk Asperslagh e conservada até hoje.

Praça Theodomiro Santiago

A Praça hoje Theodomiro Santiago, desde sua fundação, é uma das grandes tradições culturais de Itajubá Está localizada no coração da cidade, ponto de encontro de todos bairros, negócios, área de lazer e de encontro de visitantes. Antigamente era chamada de Praça Cesário Alvim e mais tarde a Praça, mudou o nome em homenagem ao Ilustre cidadão Itajubense, Dr Theodomiro Santiago fundador da UNIFEI. Desde a fundação, a praça passou por diversas transformações, sendo a última em 2015, quando a atual praça recebeu uma fonte luminosa e musical, além de bancos de madeira e uma concha acústica de 42 m², utilizada atualmente para receber intervenções artísticas e culturais.

Grande Hotel Itajubá

Construído em 1920, com três pavimentos, possui características da arquitetura eclética. O prédio possui a fachada com inúmeras janelas com fechamento em guilhotina. Em seu interior encontramos revestimentos de mármores, frisos, colunas com capitéis e pilastras. A decoração é refinada, composta por guirlandas, frisos, lustres, tulipas e outros ricos ornamentos. O Grande Hotel hospedou grandes personalidades do meio artístico, político e esportivo nacional, especialmente entre as décadas de 1950 a 2000. Imóvel localizado na Praça Theodomiro Santiago, nº 11 e tombado pelo Decreto Municipal nº 4202 de 07 de maio de 2010.

Prédio Central da UNIFEI

Prédio Central da UNIFEI – Mansão construída pelo Coronel Antônio José Rennó. Em 1894 tornou-se Casa Paroquial e em 1912 foi vendida para o Dr. Theodomiro Carneiro Santiago para abrigar o Instituto Eletrotécnico e Mecânico de Itajubá – IEMI. O conjunto arquitetônico é formado pelo casarão da Rua Coronel Rennó e dois prédios em anexo, inclusive com laboratório termo hidrelétricos. Cada prédio possui características arquitetônicas distintas, o qual se destaca no casarão ornamentos, beirais e janela de guilhotina características da arquitetura colonial. A instituição de ensino foi fundada em 23 de novembro de 1913. Em 1968 transformou-se na EFEI – Escola Federal de Engenharia de Itajubá – e em 2002 foi elevada ao status de Universidade – UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá. Como homenagem ao fundador da Unifei, foi construído no casarão o mausoléu de Theodomiro Santiago, o qual abriga seus restos mortais. Localizado na Rua Coronel Rennó, nº 07, foi tombado pelo Decreto Municipal nº 4274 de 23 de novembro de 2010.

Estação Ferroviária

Estação Ferroviária – Construída em 1930, no auge do transporte ferroviário no Brasil, constituiu importante eixo de ligação do sistema ferroviário do Sul de Minas e São Paulo. Todo o conjunto possui formato retangular, guarnecido de colunas até o teto. Suas portas são de aço, terminadas com ferro e vidro. O piso é feito de ladrilho hidráulico. Na parte posterior encontramos a plataforma que servia de embarque e desembarque, coberta por lajes e sustentada por 11 pilares de alvenaria. Hoje é a sede do Museu Municipal Wenceslau Braz. Imóvel localizado à Praça Dr. José Braz, s/n, tombado pelo Decreto Municipal nº 3093 de 24 de março de 1998.

Clube Itajubense

Prédio da Sede Social do Clube Itajubense – Fundado em 1897 o prédio é uma réplica do Petit Trianon, do Palácio de Versalhes, na França, sendo que no Brasil só existem duas outras construções com fachadas similares a do nosso clube: o Palacete Higienópolis, em São Paulo e a Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro. Em 1927 foi construída uma escada de madeira em leque, pelo marceneiro João Hermenegildo, que ainda se encontra em perfeito estado de conservação, assim como toda a parte de esquadrias (portas e janelas) em madeira de encaixe. No final da década de 50, o artista holandês Henk Asperlagh pintou painéis utilizando os mesmos modelos de figuras de anjos e santos usados na decoração da Paróquia de Nossa Senhora da Soledade, porém seminus, o que levantou protestos da sociedade conservadora da época. Estes painéis não existem mais. Ao longo de mais de um século de existência a sede social recebeu várias personalidades, entre políticos e artistas, sendo palco de diversos eventos culturais na nossa cidade. Localizada na Praça Theodomiro Santiago, nº 126, foi tombada pelo Decreto Municipal nº 4576 de 29 de outubro de 2012.

Casa Rosada

Casa Rosada – Residência do Ex-presidente da República Dr. Wenceslau Braz – Localizada na Praça Wenceslau Braz, foi construída no início do Século XX e pertenceu ao Presidente Wenceslau Braz Pereira Gomes (1914-1918). Possui estilo arquitetônico eclético com belos ornamentos presentes nos palacetes do final do Século XIX. Toda a estrutura, portas e janelas, são originais, assim como parte de seu mobiliário. Suas paredes internas exibem pinturas em afrescos, realizadas pelo artista Luiz Teixeira e ainda conservam suas cores originais. O teto é elaborado em madeira e finamente acabado. Devido a sua grande importância para a História do Brasil, a residência é tombada pelo IEPHA (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais), através da Deliberação CONEP 06/2008, em 30 de junho de 2008. Foi tombada pela deliberação CONEP 001/2008 de 28 de julho de 2008.

Santa Casa de Misericórdia de Itajubá

Prédio principal da Santa Casa de Misericórdia de Itajubá – O prédio foi inaugurado em 24 de outubro de 1925 e ampliado em 1972. Em 15 de novembro de 1964 foi lançada a pedra fundamental para a construção do prédio novo. O projeto, em estilo eclético, é de autoria do arquiteto Moises Luigi. Os três blocos de frente possuem portas originais e sacadas com balaustradas, que se interligam por varandas amplas em que se notam belas colunas. No telhado observamos duas belas cúpulas de formato original. Imóvel localizado à Avenida Cesário Alvim, nº 632 e tombado pelo Decreto Municipal nº 4129 de 03 de dezembro de 2009.

Santa Casa de Misericórdia de Itajubá

Prédio principal da Santa Casa de Misericórdia de Itajubá – O prédio foi inaugurado em 24 de outubro de 1925 e ampliado em 1972. Em 15 de novembro de 1964 foi lançada a pedra fundamental para a construção do prédio novo. O projeto, em estilo eclético, é de autoria do arquiteto Moises Luigi. Os três blocos de frente possuem portas originais e sacadas com balaustradas, que se interligam por varandas amplas em que se notam belas colunas. No telhado observamos duas belas cúpulas de formato original. Imóvel localizado à Avenida Cesário Alvim, nº 632 e tombado pelo Decreto Municipal nº 4129 de 03 de dezembro de 2009.

Escola Estadual Coronel Carneiro Júnior

Foi o primeiro grupo escolar de Itajubá. Criado em 1º de janeiro de 1911, a construção teve início em 1913 e foi concluída em 1917. Em 1918, antes de ser inaugurado, o prédio serviu de hospital, sob os auspícios da Sociedade São Vicente de Paulo, para as vítimas da Gripe Espanhola ou Influenza Espanhola, terrível epidemia que se abateu nas trincheiras no final da 1ª Guerra Mundial e que se alastrou por todo o mundo. Possui muitas janelas em madeira e platibanda longitudinal características das construções do início do Século XX. Apesar de reformas e ampliações ocorridas ao longo do tempo, conservou sua arquitetura original no prédio principal, inclusive o seu pátio interno. Seu primeiro diretor foi Jorge Tibiriça de Boucherville. Imóvel localizado na Praça Getúlio Vargas, s/n, foi tombado pelo Decreto Municipal nº 3108 de 24 de abril de 1998

Palácio 26 de fevereiro

O Palácio foi projetado pelo arquiteto italiano Moises Luigi e segue as características da arquitetura eclética, sendo um belo exemplar desta linguagem arquitetônica e das antigas casas de porão alto. A fachada possui ampla varanda com balaústres e quatro colunas que estão assentadas em pedestais retangulares e terminam coroadas por capitéis coríntios. Merecem atenção, também, os gradis e o portão, ambos forjados em ferro fundido, com linhas retas e sinuosas, formando delicado desenho rendilhado. O imóvel foi adquirido, em 1940, pelo então Prefeito Alcides Faria e tornou-se prédio da administração Itajubense até 1982. Atualmente abriga um departamento da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais. Recebeu o nome de 26 de fevereiro em homenagem a data de nascimento do Presidente Wenceslau Braz. Localizado à Praça Adolpho Olinto, nº 67, foi tombado pelo Decreto Municipal nº 3093 de 20 de março de 1998.

4º Batalhão de Engenharia e Combate ou Batalhão Pontoneiros da Mantiqueira

Em princípios de 1919, a 2ª Companhia do Batalhão deslocou-se para Itajubá e ocupou o prédio onde se encontra o Colégio de Itajubá. O 4° Batalhão de Engenharia transferiu-se para Itajubá, onde chegou em 31 de janeiro de 1921. Inicialmente ocupou o prédio que existiu no local do cinema Apolo e, a partir de 25 de outubro de 1922, passou a ocupar também o hoje em ruínas, casarão do bairro Santa Lúcia, que serviu por longos anos como Asilo dos Velhos e construído segundo projeto de Eduardo Piquet, para servir de Asilo de Moças Desvalidas. No quartel velho no antigo Colégio Itajubá, funcionou a Casa das Ordens e intendência (Comando e Administração). O atual quartel foi entregue em 8 de fevereiro de 1925, e ocupado em 1° de abril de 1925.

Mercado Municipal

O primeiro mercado de Itajubá foi construído em 1860 e ficava localizado em uma esquina do Largo dos Passos (Praça Theodomiro Santiago) e era chamado de Casa da Quitanda. O Mercado Municipal atual foi construído em 1954, por iniciativa do médico Dr. Vicente Vilela Viana, prefeito na época. Ele transferiu o Mercado para a área do antigo Estádio Municipal, hoje urbanizada. O terreno em que foi construído o atual mercado foi doado pelo Sr. Próspero Sanches. Atualmente o Mercado municipal passa por uma obra de revitalização

Praça Wenceslau Braz

Avenida Coronel Carneiro Júnior

Residência do Major João Pereira

Portaria do Campo de Aviação de Itajubá

Pista de pouso de Aeroclube de Itajubá

Praça Getúlio Vargas

Fotos aéreas de Itajubá

Antiga Cadeia Pública de Itajubá

Antigo Asilo de Itajubá

Fotos Antigas do Bairro Boa Vista

Fotos Antigas do Bairro São Vicente

Ex-Presidente Wenceslau Braz na sede do governo brasileiro no Rio de Janeiro

Antigo Cine Apolo de Itajubá

Antigo Cine Presidente

Ponte Randolfo Paiva

Posto de Gasolina da Sociedade dos Motoristas do Sul de Minas

Inaugurado em 21 de abril de 1955, apresentando estilo arquitetônico moderno, passou a ser chamado popularmente de “Postinho da Rua Nova”, conhecido como um dos menores postos de gasolina existentes. Funcionando com a bandeira ESSO, foi desativado em 2011 por determinação da Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM), por não se adequar as exigências ambientais atuais. Imóvel localizado entre as Ruas Coronel Carneiro Jr, Presidente Roosevelt e Praça Pereira dos Santos (“Praça do Soldado”), s/n, tombado pelo Decreto Municipal nº 4886 de 31 de outubro de 2013.

Desenvolvimento e Apoio -

logo-focatech
Skip to content